Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Mamã e a Xiquita

O blog que olha para a maternidade sem grandes filtros.

A Mamã e a Xiquita

O blog que olha para a maternidade sem grandes filtros.

18
Jul16

À Dra. Helena um Muito Obrigada!

A Mamã

Coração.jpg

 

Sabem aquelas pessoas que nos aparecem no caminho quando mais precisamos??

Pois é...

Hoje quero agradecer a uma dessas pessoas!

Como já vos disse à Francisca desde que nasceu que sofre de refluxo. Ela chegava ao ponto de sufocar.

Eu preocupada, procurei ajuda de todas as formas. Até que num grupo do facebook apareceu um coração grande, de nome Helena da Fonseca. Médica, não pediatra, mas das pessoas mais atenciosas e preocupadas que tive o prazer de conhecer.

Apesar de nunca a ter conhecido pessoalmente, ela fez de tudo para me poder ajudar. Ela recomendou-me pediatras, viu resultados de exames, aconselhou-me, e tudo isto no meio da sua vida atarefada, e sem sequer me conhecer de lado algum.

E acabámos por criar aqui uma ligação muito saudável.

Hoje quero só dizer-lhe que estou muito grata por tudo o que fez por mim e pela minha Francisca. O mundo precisa de mais pessoas assim. Corações grandes!

 

Um MUITO OBRIGADA Dra. Helena da Fonseca, que a vida lhe sorria sempre, e lhe devolva tudo aquilo que dá.

 

Da minha parte, tudo o que precisar, eu estou aqui!!!

 

Um beijinho muito grande❤

18
Jul16

O primeiro mês do recém nascido

A Mamã

20160718_125718.jpg

 

O meu primeiro mês no papel de mãe foi sem dúvida cheio de emoções.

Mas atenção, nem sempre foram aquelas emoções bonitas de serem sentidas, não!

Muitas delas foram de tristeza e frustração.

O sentimento de incapacidade, a exaustão, as noites sem dormir, o choro que não percebia, o não conseguir fazer nada em casa, o stress da amamentação e os medos, deram cabo de mim.

Os meus primeiros 30 dias como mãe não foram fáceis.

Lembro-me de pensar: "Nunca ninguém morreu disso... bem, será mesmo que nunca?"

Pensei que provavelmente eu seria a primeira a morrer, e está provado que a privação de sono pode levar uma pessoa à insanidade, e eu não estive muito longe dela.

 

Para ajudar à festa, aquilo que eu mais ouvia era: "isso passa". E eu só pensava quando?

 

Mas a verdade é que passa mesmo.

Os medos aos poucos vão desaparecendo, vamo-nos habituando à rotina do bebé, e com o tempo passamos a conseguir descansar mais um pouco.

 

E hoje em dia quase 9 meses passados, esse primeiro mês torna-se uma memória distante e até difícil de assimilar: "será que foi assim tão mau?"

 

Aprendi algumas coisas nesses 30 dias.

Uma delas é que não é possível estarmos preparadas para esse momento, ele acontece e nós temos de lidar com ele naquela altura com o que temos. Por muitos livros que possamos ler, garanto-vos que não vão estar preparadas.

 

Não se frustrem por o bebé ainda não ter uma rotina, com o tempo ele vai criá-la, se ficamos ansiosas por que esse momento chegue, ainda vamos sofrer mais.

 

Esqueçam a casa, no primeiro mês não se preocupem se está arrumada ou desarrumada. Preocupem-se com o bebé e convosco, a casa pode esperar.

 

Paciência, é preciso muita paciência.

Em muitos momentos eu achei que não ia conseguir, e que esse papel não era para mim. Mas não podia estar mais enganada. É tudo novo e precisamos aprender a lidar com esta nova vida e rotina.

 

Durmam enquanto o bebé dorme!

Dos melhores conselhos que vos posso dar. Durante algum tempo não vão saber o que é uma noite inteira de sono. Por isso aproveitem as sestas dele para descansarem.

Aceitem ajuda e tirem 5 minutinhos só para vocês. Nem que sejam só para um banho mais demorado.

 

Cerquem-se de pessoas que vos amam.

 

A quem está a passar por esse mês agora, saibam que é possível sobreviver: Eu sobrevivi!

E que as coisas vão começar a ficar melhores.

De repente deixamos de ser só uma fonte alimento, e os sorrisos deles para nós começam a aparecer. E aí aquelas noites terríveis, já não vão parecer assim tão más. 

Cada dia é uma novidade, cada semana um novo avanço e assim em conjunto com os vossos bebés vão aprendendo e vendo que tudo compensa.

 

Tudo passa, e depois vão dizer que a melhor coisa do mundo é serem mães!

 

Acreditem! Palavras de uma mãe que pensou que fosse morrer! ❤