Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Mamã e a Xiquita

O blog que olha para a maternidade sem grandes filtros.

A Mamã e a Xiquita

O blog que olha para a maternidade sem grandes filtros.

29
Jun16

Quero que...

A Mamã

20160629_142317

Por vezes dou comigo a pensar, no que quero ensinar à Xiquita. Além dos valores ditos normais, como a educação, a humildade, a honestidade... Quero-lhe ensinar:

Que nenhum homem a vai amar tanto quanto o pai.

Que não fale tudo o que pensar, pois pode magoar os outros.

Que se valorize.

Que valorize os outros.

Que leia sempre bons livros.

Que assista a bons filmes, pois podem ajudá-la a entender as outras pessoas.

Que ouça boa música, música que lhe faça bem.

Que vá ao teatro.

Que eu vou deixá-la sempre usar a minha roupa e maquilhagem.

Que retirar a maquilhagem à noite, é a melhor rotina de beleza que pode ter.

Que não desista dos sonhos.

Que é única.

Que perdoe e não guarde mágoa.

Que seja feliz em tudo o que fizer.

Que estude.

Que pedir desculpa primeiro não é sinal de fraqueza e sim o contrário.

Que ser mãe dela é a maior felicidade que tenho.

Que vou estar sempre com ela independentemente da idade que tiver.

Que não faça mal a ninguém.

Que a conversa é sempre o caminho melhor.

Que eu nunca me vou cansar de ser mãe dela.

Que vai ser sempre a minha pequena.

E que eu e o pai a vamos amar sempre!

Só me resta esperar que ela siga todos estes conselhos, e que se torne numa menina acima de tudo muito feliz!

Para ti, minha Xiquita ❤

28
Jun16

O Pai da Xiquita

A Mamã

20160626_165505

Sempre ouvi dizer que nós escolhemos o homem com quem vamos passar o resto da vida quando vemos que ele vai ser um bom pai. E acho que é muito verdade! Hoje se calhar o post não é o que estavam à espera. Desculpem! Mas preciso fazer isto.

Não poderia ter escolhido melhor pai para a minha pipoca, logo não podia ter escolhido melhor companheiro para mim.

Foi ele que esteve comigo no bloco, à  espera da pequena. Foi ele que ficou comigo na maternidade os 3 dias.

Nos primeiros tempos da Francisca, ele acordou comigo durante as noites, sempre pronto a ajudar e a apoiar no que fosse preciso, mesmo tendo no dia seguinte de se levantar cedo para ir trabalhar.

Foi ele que foi buscar jantar todos os dias  (sim buscar, porque a cozinhar é um zero), para eu poder descansar um pouco.

Foi ele que foi a meio da noite para o hospital e de seguida foi trabalhar sem dormir.

E ainda é ele que me diz: "vai descansar um bocadinho que eu fico com a menina". Ou:"Estás cansada? Queres que vá buscar comida feita?".

É ele quem fica com ela pacientemente para eu tomar um banho mais demorado.

É ele que tem o sorriso mais doce.

É ele que tem o abraço mais caloroso.

É ele que tem mais paciência.

É com ele que divido o amor pela Xiquita, os medos e as alegrias da vida.

É por ele e pela Francisca que tento ser uma pessoa melhor.

É com certeza nele que encontro sempre um apoio.

E é para ele hoje este post.

Ele chama-se João e é o melhor pai e companheiro do mundo.

Um beijo ❤

27
Jun16

Mãe online

A Mamã

20160624_180642

Voltando ao assunto de ser mãe a tempo inteiro. Demorei algum tempo a perceber o que estou a viver e o privilégio que tenho em poder estar com a Xiquita em casa. Mas é isto que quero fazer.

Ser mãe é o que tenho de melhor. É o meu melhor emprego, o meu maior negócio, o meu maior investimento, e é de onde tiro o melhor da minha vida.

Sinto-me mais realizada que em qualquer outro emprego que tenha tido.

Devem estar a perguntar-se o porquê de falar novamente neste assunto. Eu explico. Quando fiz o post sobre ser "mãe a tempo inteiro", recebi várias mensagens e emails, a perguntarem me o que ganho com isso. E com a exposição da minha vida e da Xiquita.

Então cá vai: enquanto mãe a tempo inteiro, ganho o poder ver a minha filha crescer e desenvolver-se.  Não perco um minuto da vida dela. Ganho beijinhos, abraços, muito amor e carinho durante todo o dia. Ganho muito mais do que muita gente possa entender.

Quanto ao partilhar a minha vida e a dela por aqui.

Sabem o que é gratificante? É receber mensagens e comentários a dizerem: "obrigada por partilhar isto, sinto o mesmo, mas ninguém entende." "Afinal não sou a única a pensar assim." E por aí em diante...

Se eu contribuir para fazer o dia de alguém um bocadinho melhor, para tirar alguma dúvida, ou apenas ter alguém que se identifique comigo, já fico feliz e é só disso que preciso.

Eu sou só um bocadinho no meio desta história, porque sem vocês isto não seria possível. Vocês aí desse lado é que me ajudam a construir isto com os vossos comentários e carinho, e acabam por dividir a vossa vida comigo também.

Esse retorno é muito gratificante! Obrigada!!!

E é isto...

Vocês fazem-me bem!

❤❤❤

26
Jun16

Mães de primeira viagem

A Mamã

20160626_111037

Hoje deu-me para isto, conselhos! Ficam aqui algumas coisas que eu gostava de dizer a todas as mães de primeira viagem.

Tirem muitas fotos grávida, essa barriga vai deixar saudades, acreditem!

Quando o bebé mexer, aproveitem ao máximo as sensações, porque também vão sentir falta dos pontapés.

Façam um chá de bebé, não pelos presentes, mas para terem um momento descontraído com as amigas, pois nos primeiros tempos de vida do bebé, vão sentir falta disso.

Quando os vossos bebés nascerem, sintam o cheiro deles, e tentem guardar essa recordação, num cantinho aí na vossa cabeça, pois é o melhor cheiro do mundo.

Amamentar não é tão fácil e tão bom quanto dizem, mas não desistam.

Os vossos banhos nunca mais serão os mesmos, por isso aproveitem quando tiverem alguém para vos ficar com o bebé.

Mal acordarem, lavem logo os dentes e façam xixi, porque se vão primeiro tratar do bebé, vão ficar sem tempo para isso.

Não recebam visitas quando se sentirem cansadas.

Chorar de cansaço faz parte, não se sintam incapazes.

Sentimentos contraditórios são normais, não se assustem.

Palpites não vos vão faltar, mas não liguem, façam apenas o que vos diz o vosso coração.

Nunca comparem os vossos filhos com os dos outros, cada criança tem o seu tempo.

A vossa vida vai mudar, vão passar por momentos difíceis, mas garanto-vos que tudo vai valer a pena.

Vejam o mundo com os olhos de uma criança, e serão umas mães mais leves.

Nenhum filho é igual ao outro, acho que independentemente de quantos filhos tivermos, vamos ser sempre mães de primeira viagem.

Por isso façam apenas aquilo que vos traz paz ao coração. Isso sim é o certo!

Um beijinho ❤

25
Jun16

Culpa de mãe

A Mamã

20160625_111505

Desde que a Xiquita nasceu que já aprendi muita coisa, e uma delas foi que o sentimento de culpa está sempre presente.

Ser mãe é andar sempre com aquela sensação de não estarmos a fazer o melhor de nós para os nossos filhos. Sentimos culpa tanto por coisinhas pequeninas como por problemas sérios.

Sentimos culpa porque demos chucha, porque tivemos de dar leite adaptado mais cedo, porque deixámos o bebé com alguém durante apenas uma hora para descansarmos. Já para não falar naquela culpa de quando queremos que o bebé durma um pouco mais cedo só para descansarmos um pouco mais.

A culpa é como um brinde que ganhamos quando nos tornamos mães. Vamo-nos sentir culpadas em relação aos nosso filhos em algum momento da vida deles.

Falei com algumas mães e acreditem esse sentimento não é uma exclusividade só nossa, por isso relaxem. A maior parte delas em algum momento ou por alguma razão já se sentiram culpadas.

Isto parece ser imposto a nós e, muitas vezes, por nós mesmas.

E depois claro existem os "palpiteiros" de serviço, com as suas críticas. E para esses já sabemos como acaba a história: A culpa vai ser sempre da mãe!

Então se é para termos culpa de qualquer maneira, mais vale encararmos isto da maternidade de forma leve, e sobretudo de forma que funcione para nós e para os nossos pequenos, pois só nós sabemos o que é melhor para eles. 

Um beijinho cheio de culpa❤ 

24
Jun16

Mundo cruel

A Mamã

FB_IMG_1466768640922

Hoje lembrei me de quando era criança...Fui uma criança feliz! E em grande parte porque brinquei na rua. Sim, quando era criança não tinha medo de nada.

Admito que não ter medo do futuro é a única coisa da qual eu sinto falta e gostaria de ter trazido para esta nova fase da minha vida.

A cada dia que ligo a televisão e vejo os telejornais, o medo aumenta. Provavelmente 75% das notícias estão relacionadas com actos desumanos e de extrema crueldade. Sou mãe, e vivo a minha vida a tentar criar da melhor forma a minha filha, mas sempre com aquele "pontinho" de medo e aflição pelo futuro dela. Sou a única mamãs?

Nós cuidamos dos nossos filhos, educamo-los, damos-lhes o nosso amor, preocupamo-nos. Damos-lhe o melhor de nós, falamos de amor e de humildade, de compreensão.

Ensinamos-lhes a dizer obrigada, a contar estrelas, a ser amigos e a ajudar o próximo.

Fazemos tudo isto com o nosso amor de  mães. E depois vemos nas notícias que este mundo está virado do avesso. 

É preciso cuidado, não sabemos de onde vem a raiva e o ódio que andam por aí.

Sinceramente não sei como manter minha filha afastada desta crueldade.

Tenho esperança que este mundo melhore, só espero não me enganar.

O que me resta é tentar ensinar à Francisca, os verdadeiros princípios da vida, tentar mantê-la afastada de todo este mal que anda aí, e aprender a conviver como este medo.

Por fim, espero que tudo o que eu ensinar à Francisca, seja a base da identidade dela, visto que não vai estar para sempre debaixo da minha "saia". E que ela construa o futuro dela com esses ensinamentos sempre presentes.

Um beijinho com esperança de um mundo melhor❤

23
Jun16

Ser dona de casa é feio

A Mamã

20160622_162259

Durante a minha vida tive alguns empregos, bem diferentes uns dos outros. Fui técnica de telecomunicações, maquilhadora entre outros.

Hoje em dia quando me perguntam o que faço e respondo: "sou dona de casa",  parece que um buraco se abre à minha frente, e que eu só preciso de me mandar lá para dentro.

Pois é, hoje em dia ser dona de casa é mal visto. Mas eu acho que as pessoas não entendem... Eu não parei de trabalhar para cuidar da casa, eu parei pela minha filha.

O que acontece é que as pessoas ainda ligam muito as donas de casa à limpeza, à cozinha, ao ficar a ver televisão o dia todo. Mas por aqui não é bem assim.

O que importa aqui é a Xiquita, primeiro a alegria e o desenvolvimento dela e depois sim o resto, a limpeza, a cozinha etc... Tento conciliar as coisas, quando ela dorme, vou tratando da casa ou do jantar. E quando o jantar está pronto, lá vem ela com aquele sorriso para desarrumar tudo outra vez.

Pois fiquem a saber que, cozinhar, tratar da roupa, da casa, dar educação, ter vida conjugal, ajudar no desenvolvimento da Xiquita, organizar a agenda semanal e ainda ter alguma vida social, dá um pouco mais de trabalho do que aquilo que pensam da simples dona de casa

Sou dona da casa, não dona de casa.

A partir de agora quando me perguntarem qual a minha profissão:Mãe a "tempo inteiro"!

 

Eu gosto e a Xiquita agradece.

Beijinho nosso❤

22
Jun16

Dia de médico

A Mamã

20160622_162331

Hoje foi dia de pediatra. A consulta dos 8 meses.

Lá foi a Xiquita à Dra. Brinquedos. Sim, a médica da Francisca, a Dra. Deolinda Borges é sem dúvida a melhor pediatra que podia ter arranjado. Atenciosa, experiente, amável, um mimo para a pequena, e sem dúvida muito prestável, sejam que horas for, se tiver alguma dúvida, ela atende-me o telefone.

E não imaginam o quanto eu já a chateei! Nunca me fez cara feia, nem frete em me aturar. É realmente um doce de pessoa.

E o que é que ela nos disse? Que a Xiquita está ÓPTIMA!!! Pesa 8,800kg e mede 71,5 cm. Uma matulona. E já tem dois dentinhos em baixo. Disse-me que está muito desenvolvida, pois já diz adeus, bate palminhas, diz olá, e claro a mãe ficou toda babada.

A partir de amanhã começamos a etapa de sopa e fruta 2 vezes por dia, e ao lanche papa. Quanto ao peixinho na sopa mandou-me introduzir só aos 9 meses. Vamos lá ver como corre. Depois eu conto-vos.

Aconselhou-me a pô-la na natação, pois como temos piscina em casa, é um perigo. Alguém tem bebés na natação? Eles gostam?

Não sei estão a perceber mas hoje o meu dia vai ser a pesquisar piscinas com natação para bebés.

Alguma sugestão? 

Um beijinho nosso ❤

21
Jun16

Competição de mães

A Mamã

20160621_102606

E se há algo que me faz muita confusão, são as rivalidades entre as mamãs deste mundo. Sim! Rivalidades! Nós sabemos que em tudo na vida há escolhas, e não somos mais nem menos independentemente do caminho que decidimos seguir. Mas na maternidade isso é vivido de forma muito intensa , por sermos mães somos julgadas de forma mais agressiva .

E o mais estranho, é que somos julgadas por outras mães. Em vez de nos unirmos todas, visto que todas sabemos o quão difícil é a maternidade. Não! Vamos todas criticar a próxima. Sinceramente não entendo.

Parece que há um ranking das melhores mães. E que todas andam a competir pelo troféu . Então vamos lá:

Não fez exercício durante a gravidez = 0 pontos  Fez exercício = 10 pontos

Cesariana = 0 pontos  Parto Normal = 10 pontos

Não amamentou = 0 pontos  Amamentou = 10 pontos

Dá os pacotinhos de fruta = 0 pontos  Coze fruta em casa = 10 pontos

Se não trabalha = 0 pontos  Se trabalha = 10 pontos 

Pois é mamãs, se me seguisse por esta pequena lista, provavelmente só tinha uns 10 pontos. Ficava no fim do ranking.

O meu parto foi cesariana de urgência, como já expliquei noutro post, não amamentei porque infelizmente o leite secou. Mas ninguém percebe, há sempre quem venha criticar sem sequer saber o porquê. Mesmo que fosse por opção minha, ninguém tem o direito de criticar.

Escolhi ficar em casa com a Francisca, porque felizmente me posso dar a esse luxo, mas se tivesse que ir trabalhar também ia.

Não entendo o porquê destas rivalidades, e de algumas mamãs se acharem mais que outras por isto ou por aquilo. Andam a competir pelo quê?

Escrevi este post porque sinceramente fartei me de ser criticada, e não quero competir.

Os nossos melhores troféus já os temos. Os nossos filhos. Esses não trocamos por nada deste mundo.Se já ganhámos, porquê tanta competição?

Independentemente do tipo de parto, se amamentou ou não, e de mais uma série de coisas, somos todas mães.

Todas sabemos das dificuldades da maternidade, então não será melhor apoiarmo-nos?

Fica o desejo que haja mais amor em vez de críticas.

Um beijo ❤ 

20
Jun16

Antes de ser mãe

A Mamã

20160619_225711

Antes de ser mãe, a minha vida era bem diferente, sem grandes preocupações ou responsabilidades.

Antes de ser mãe:

Eu saía com amigas/os

Eu podia vestir um biquíni , que não tinha barriga.

Eu podia sair de casa e chegar à hora que quisesse.

Eu tinha um corpo mais bonito

Eu tinha mais amigos.

Eu tinha o cabelo sempre arranjado.

Eu comprava muita roupa para mim.

Eu preocupava-me mais com a aparência.

Eu era mais vazia.

Eu fazia o que queria.

Eu dormia a noite toda.

Eu tinha muito mais liberdade.

Antes de ser mãe, era praticamente só eu. 

 

Mas antes de ser mãe:

Eu era menos mulher.

Não sabia o que era amor.

Não tinha porque acordar bem disposta.

Não sabia o que eram miminhos bons.

Não tinha de quem cuidar.

Não sorria tanto.

Não me sentia tão completa.

Não tinha quem dependesse de mim.

Não tinha quem sorrisse só de me ver.

Não me sentia tão preenchida.

Não me sentia tão bem.

Não tinha tanto amor.

Enfim…Antes de ser mãe , eu jamais imaginava que depois de o ser, eu me sentiria muito mais realizada.

Eu não entendia que depois de ser mãe, aí sim eu seria FELIZ!!!

Hoje, quase 8 meses depois, eu posso dizer que sou a mulher mais feliz do mundo!

 

Obrigada Xiquita!❤ 

Pág. 1/4